Associação

T__.jpg

Presidente

António Brás

     A associação tem origem num contexto social específico – a necessidade de atenuar as consequências da desertificação humana que afecta o concelho. Obviamente, por variadas razões, a Amigos de Vila Nova incidirá a sua acção e actividades no espaço onde se insere, ou seja, na sua localização.


     Nesta perspectiva, a organização de actividades / eventos terá a finalidade de incutir no modus vivendi pessoal o hábito e a necessidade de sentir Barroso como destino preferível e refúgio das exigências sociais e profissionais característica dos centros urbanos.


     Em resumo, um lugar de lazer, saúde e apetecível pela natureza indiscutível que possui, ao mesmo tempo, pelas condições que proporciona. Assim, a oferta não se pode limitar a satisfazer necessidades, mas principalmente, a criá-las. Justificação suficiente para a realização de actividades sob o espírito da Amizade, Fraternidade e Convivência.


     No entanto, a existência da Associação não se alicerça exclusivamente na realização de eventos. Pretende fundamentos mais sólidos que completem e atribuam sentido aos objectivos delineados. A fundamentação histórica, a recuperação e presevação de tradições e valores são essenciais na atribuição de sentido e na formação de sentimentos de pertença. 


     Estas matrizes poderão ser mais ou menos consequentes dependendo da acção concertada das instituições de decisão, das instituições associativas e da sociedade civil.


     É neste entendimento da realidade que a associação se assume, sem preconceitos, como elemento dinamizador e aglutinador de vontades. Pretende racionalizar as necessidades, o sentir e o desejo da sociedade civil e afirmar-se como o elo de ligação entre estes e as instituições detentoras do poder de decisão. É uma racionalidade que se pretende frutífera pela conjugação de esforços na realização de interesse comum.


     É na obediência a este pensar que a Associação se organiza. De salientar que a formação da Amigos de Vila Nova só se concretizou após 2 anos de experiência, tendo esta sido fundamental para sua criação e no delinear dos objectivos já referidos. Sem qualquer apoio, permitiu perceber a sua viabilidade e a necessidade de se consolidar como associação pois o desejo é ir mais longe.


     Perante a oficialização legal desta associação surge a necessidade de planificação das actividades e divulgação dos projectos e linhas gerais que presidirão à acção. Para que a teoria se fundamente na prática, publicitam-se actividades já realizadas, as que se irão realizar e projectos de realização a longo prazo.


     Todas as actividades possuem o seu carácter lúdico, aliando-se a algumas a preservação de tradições e de valores com os quais há identificação. É uma forma didáctica principalmente porque permite a coexistência e a convivência entre as diferentes faixas etárias.


     Convida a um certo revivalismo emergente das raízes barrosãs que cada um de nós possui e incute um sentir tradicional próprio da relação homem / natureza nos mais jovens. Foi esta relação que marcou o dia-a-dia e a relação histórico-social do homem barrosão.


     O conhecimento de comportamentos, de atitudes, de valores e de tradições baseia-se, na maioria dos casos, na tradição oral. De importância relevante, esta não é suficiente para a universalidade nem para a fundamentação. Aliás, verifica-se um bloqueio, senão uma ruptura, na tradição oral. Quem não sabe o que é estar à volta de uma lareira? O lume aquece as línguas. Este foi o veículo de muitas histórias e a garantia de que o tempo não as apagava.

Hoje, raramente se proporciona.


     Há que construir alternativas.

2017 Associação Amigos de Vila Nova